NAS REDES

Fechar

“Eis que se aproxima o inverno, com aquele gostinho de chocolate quente e canela. Junto dele, um infinito de possibilidades encaixam perfeitamente nessa estação.
E assim ele chega, ressaltando o que há de mais bonito aos olhos: o encanto das roupas pesadas, as paisagens enfeitadas com o orvalho da manhã, nossas praias desertas e seu silêncio acolhedor, o sol com seus calorosos abraços de vitamina D sem sofrimento algum nos dias mais frios. Os pratos e as bebidas quentes somados a todo o conforto que acompanha essa temperatura aconchegante.

Inverno é praticamente um estado de espírito; grita por mais abraços para nos aquecer do frio, pede sutilmente por um bom filme debaixo das cobertas, nos concedendo o luxo de levantarmos mais tarde em um domingo chuvoso. E por que não, ficar o dia todo na cama!?Inverno é assim, nos dá a liberdade de fazer o que se gosta e de ser o que quisermos ser. Mas ele também clama por uma viagem: campo, serra ou praia – tanto faz. E ele talvez nem exija muito, um gramado verde para se deitar e admirar um belo dia de sol emoldurado pelos desenhos das nuvens já seriam mais que suficiente para ser especial.

São essas pequenas coisas que me agradam no inverno, toda essa beleza poética e sua simplicidade singular. Posso dizer que admiro o inverno: pinhão, vinho, queijo, conhaque, fondue  e boa música como trilha sonora. Época perfeita para começar um namoro, mas também perfeita para quem está sozinho. Sempre bom termos um tempo só pra gente, tirar um breve descanso da loucura do dia à dia e o inverno é uma bela desculpa para fugir de badalações. Um tempo só nosso é vital pra nossa saúde mental. É a estação feita para o “nada” se tornar incrível.

Despertar do inverno é assim. Quem foi mesmo que disse que “fazer nada” é algo ruim? Lamento muito quem ainda não descobriu, pois não há nada melhor do que o “nada” em um belo e cinzento dia frio.

Bem dizem que há coisas que nem o tempo pode mudar: continuo amando o inverno e seus dias melancólicos de chuva com a mesma intensidade de minha infância – ou talvez até mais. Hoje sei o valor que eles carregam e que na infância eu ainda não compreendia. Posso dizer que o inverno é a estação mais quente do ano – aquece até o mais solitário dos corações – com sua exuberância e a obrigação que lhe propõe de ser você mesmo. E isso é mágico.”

Problemas na pele — quem nunca? Alguns desses problemas de pele surgem e sequer imaginamos ser um problema mais sério e acabamos não dando a devida atenção. É onde mora o perigo.

Hoje vim falar sobre algo que passei recentemente e espero que o meu exemplo possa realmente ajudar algumas pessoas.
Tive um problema de pele SUPER COMUM e acredito que esse post possa alertar muitas pessoas que como eu, não dão a atenção necessária aos sinais da pele e que pensam que o problema que tive é algo ‘normal’, principalmente em peles secas. Não, não é! Papo sério.
E o quanto antes ele for detectado, mais cedo pode ser tratado e o quadro não agravar, sem causar um desconforto maior como aconteceu comigo por bastante tempo.

Sempre tive a pele do rosto beeem seca, principalmente em baixas temperaturas, o que pra nós mulheres isso é super comum né, mas é bem aí que mora o perigo: acreditarmos que seja algo comum. No inverno a pele do meu rosto ressecava muito além do normal e descamava bastante, junto, vinha a vermelhidão e as pequenas lesões (por querer “esfoliar” e retirar as peles que deixavam o rosto esteticamente incômodo pra mim). Até aí tudo certo, pois o inverno acabava e com ele esse tormento ia embora.
Mas um pouco mais de um ano e meio pra cá, percebi que até no verão (quando minha pele descansava desse sofrimento invernal) a minha pele do rosto continuava a sofrer, descamando e por vezes até coçando muito e criando lesões um tanto maiores. Mal sinal, fora a vergonha de estar assim, com esses “farelos” de pele pelo rosto todo, com marcas.. coisa que nunca tive antes.
Mas fui adiando, acreditava eu, com a minha quase inocência, que iria melhorar com o tempo. Não ocorrendo isso, tentei TODOS os tipos de cremes hidratantes (isso é um erro), algumas pomadas farmacêuticas, receitas caseiras como óleo de rícino misturado com óleo de côco, que até deu uma amenizada.. mas nada de realmente melhorar. Continuava a descamação, as coceiras e as grosseiras na pele. Aí finalmente entendi que era algo sério e bingo: caiu a minha ficha de que não era apenas uma simples irritação da pele como as que tive nos invernos anteriores.
Parei de adiar a ida a um dermatologista (hey, doutor Google para esse tipo de problema é um erro, vão por mim), devemos SIM ir a um especialista, só ele vai identificar o real problema da sua pele e qual o tratamento ideal você deve seguir.
Fui na médica, que foi ótima comigo e eu estava certa: estava com uma doença de pele crônica, com nome e sobrenome: a ‘bendita’ ROSÁCEA.

Mas o que é a Rosácea?

A rosácea é uma doença inflamatória crônica da pele, sendo ela bem comum e atinge várias pessoas (por isso muitos têm e sequer imaginam). E ela não é transmissível ao toque, é de ordem genética. Portanto, fiquem calmos que ninguém vai passar rosácea pra vocês!

Sintomas:

Os sintomas envolvem áreas de vermelhidão na pele e começam com pequenas lesões inflamadas, especialmente nas bochechas, nariz, testa e queixo. Afeta mais os adultos entre os 30 e 50 anos (começou em mim com 27 anos). A rosácea pode piorar ao longo do tempo, levando a mudanças permanentes na aparência e afetando a autoestima (como no meu caso me deixando às vezes bastante desconfortável em certas ocasiões), me sentia uma cobra trocando de pele 24h por dia!
Como toda doença crônica, não há cura conhecida para a rosácea. Mas ela é tratável, conseguindo um excelente controle. Como foi no meu caso! Em questão de apenas DOIS DIAS do tratamento que minha dermatologista indicou, minha pele teve 100% de melhora! Por isso é importante salientar: não adiem a ida a um especialista! E o quantos antes tratar, melhor e mais rápido é o resultado.

Causas:

Diversos fatores estão envolvidos no aparecimento da rosácea. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os mais importantes são: predisposição genética, alterações emocionais e hormonais, mudanças bruscas de temperatura, exposição solar, uso de bebidas alcoólicas, medicamentos vasodilatadores ou fotossensibilizantes, ingestão de alimentos muito quentes ou condimentados.
Parando agora pra ler é bastante óbvio o surgimento da rosácea em mim: tive casos de psoríase na família, ou seja, tenho predisposição genética, adoro uma cervejóca, minha pele sempre foi bem sensível ao frio, bebo muito café durante todo o dia e AMO comidas apimentadas! Fiquei triste com isso, sério!

ENFIM, JUNTOU TODAS AS CAUSAS EM UMA PESSOA SÓ!

Tratamento:

Rosácea é uma desordem crônica da pele, o tratamento é indicado de acordo com o grau de evolução do caso com o objetivo de deter ou, quando possível, reverter o quadro.
O tratamento pode ser tópico (local), ou sistêmico (com antibióticos por via oral), ou cirúrgico utilizando laser, a eletrocirurgia e a dermoabrasão. O fundamental, porém, é evitar os fatores de risco que favorecem a manifestação da rosácea.
No meu caso o tratamento foi tópico e consistiu em: um sabonete hipoalergênico pra lavar o rosto 2x ao dia, pomada específica pra tratar as pequenas lesões do rosto 1x ao dia só na primeira semana, protetor solar hipoalergênico (sendo 30fps para o inverno e 50fps no verão) e passar 2x ao dia. Protetor é pra ser usado sempre, gente. Mesmo quem não tenha rosácea. E estou usando também um gel específico para tratamento da rosácea a longo prazo, aplico no rosto 1x ao dia (de preferência à noite antes de dormir).
É chato? É. Mas é importante cuidar e ficar atento aos sinais da nossa pele. Não queiram passar por isso que passei!

Recomendações finais:

  • Não se automedique. Procure um dermatologista tão logo note alterações na pele do rosto, como vermelhidão, coceira e inchaço;
  • Evite a exposição ao sol e as mudanças bruscas de temperatura;
  • Procure relacionar os alimentos que ingeriu e o uso de cosméticos ou de produtos à base de corticoesteroides com os episódios de rosácea;
  • Use sempre protetor solar;
  • Não tome banho nem lave o rosto com água muito quente.

Faz exatamente 4 dias que iniciei o tratamento e minha pele está outra! Parece mentira que tive tanta dor de cabeça. E depois desse problema, vou ter que rever até minhas maquiagens. Por várias vezes ao usar alguns produtinhos para preparar a pele (principalmente bases) senti coceiras pelo rosto. E como estou usando sabonete e protetor solar hipoalergênicos, acho que terei de recorrer a maquiagens também hipoalergênicas. O problema é não conhecer nenhuma boa marca!
Pessoal, cuidar da pele, independe de idade, sexo ou vaidade.. é extremamente necessário.

Estar sempre atento aos sinais do nosso corpo é um ato de amor a si próprio. E por que não dizer que é um ato de amor com as pessoas que amamos e que se preocupam com a gente? Saúde, pessoas. Saúde!

Alguém já teve experiência com algum problema de pele? Me contem!

Beijo, leitores!

 

Buenas tardes, pessoas! Cheirinho de fim de semana no ar, uma delícia! Ainda mais aqui no sul.. tá chovendo e deu uma esfriadinha, tô adorando!

TAG That’s True. E como prometido para algumas meninas que participaram, vou postar as minhas respostas da TAG que a Renata me indicou a fazer.
E gostaria de agradecê-la, pois em apenas 2 meses aqui na blogosfera ganhei minha primeira TAG. E quem participou belê, quem não, agora já foi.. dei bastante tempo mas infelizmente nem todas responderam! Talvez foi pouco tempo, não sei.

Minhas 5 “boas mentirinhas” foram:

5. já quebrei o meu nariz; (mentchiiiiira!)

11. só assisto filmes de comédia romântica; (mentchiiiira!)

14. não sou uma pessoa ciumenta; (mentchiira!)

17. não quero ter filhos; (rááá! mentchiiiira!)

25. bebo muita água o dia todo; (deveria, mas não bebo)

E sim, TODAS AS OUTRAS SÃO AFIRMAÇÕES VERDADEIRAS:

1. sou muito ansiosa, fico quase louca por isso;
2. já ganhei um arrancadão (corrida) de carros que uns caras molengas corriam, inclusive tem um vídeo no youtube provando a façanha (mas a fase já passou, ainda bem);
3. meu marido é 3 anos mais novo do que eu;
4. eu ADORO ficar em casa;
6. dirijo desde os 13 anos, aprendi a dirigir sozinha ‘furtando’ uma Honda Biz e andava escondida dos meus pais; (um perigo);
7. já tive cabelo preto azulado, loira de tons diferentes, ruiva de todos os tons;
8. tenho essa imagem meio rebel, mas curto muitas coisas que ninguém imagina, inclusive Bee Gees que eu AMO de paixão (Lisandra curtiu isso! hahaha);
9. a primeira vez que pintei meu cabelo (acobreado) foi em 2012, portanto.. tinha 27 anos mesmo;
10. sim, tenho ao todo 21 tatuagens espalhadas pelo corpitcho (por enquanto!);
12. quem leu meu post da infância 80/90 sabe que eu fui bem molecona.. infância de guri mesmo;
13. completando o item anterior, pulando das dunas quando criança, bati com o meu dente da frente no joelho esquerdo, sangue pra todos os lados, minha mãe rindo até não dar mais e uma cicatriz que carrego até hoje;
15. furei minha orelha só aos 11 anos e do modo mais antigo possível, com o pé do brinco e uma rolha; hoje nem uso mais brinco, só uso um alargador de 20mm na orelha esquerda;
16. tenho vááários gibis da Turma da Mônica, Disney e Seninha;
18. sempre fui bem pavio curto, e quando eu explodo.. vish;
19. chocolate é vida (e gordura também rs) simplesmente amo;
20. dizem que sou a cara da minha mãe, e adoro quando me dizem isso.. tem fotos que me acho bem parecida, às vezes perco tempo no espelho me comparando com ela (saudades);
22. trabalho no administrativo do escritório do meu pai, somos parte da profissão mais antiga no Brasil: despachante de trânsito;
23. sou mega impulsiva, penso e falo, penso e faço; (quer dizer, nem penso)
24. não sei desenhar nada decente, sempre achei o máximo, mas definitivamente não tenho esse dom;

Era pra ter mais um fato, mas comi, era a de número 21: pode ser PERFECCIONISTA! Moldo tanto tudo o que escrevo, que às vezes perco coisas importantes em meio a essa ‘loucura’, como o fato 21. HAHAH!
Das blogueiras que tentaram adivinhar minhas mentirinhas: a Mel e a Náthaly acertaram ambas 3 fatos meus, a Lisandra acertou 2 fatos e a Sheyla acertou também 2 fatos. Parabéns, meninas!
Adorei essa brincadeira, que venham outras mais!

Estou esperando a resposta da Renata. Bóra, garota!

Beijos e bom fim de semana pra todos :))

Quem recusaria no meio de uma tarde chuvosa de inverno, uma fatia quentinha de bolo acompanhada por uma xícara de café?

Vou compartilhar nesse blog só coisas que realmente gosto. Uma delas é esse bolo! Essa receita é maravilhosa. Rápida, barata e super fácil de fazer. Nem precisa bater a massa na mão ou ter uma batedeira super cara, basta um liquidificador! Amo receitas de bolos de liquidificador, tenho várias boas receitas. Já fiz esse bolo de milho inúmeras vezes, meu marido e minha família simplesmente adoram. Bóra ver a receita?

Bolo de milho verde receita

Bolo de milho verde com coco e leite condensado

A textura fica exatamente assim, uma delícia.

INGREDIENTES:

  • 01 lata de milho
  • 01 colher (de sopa) de margarina
  • 03 ovos inteiros
  • 01 lata de leite condensado
  • 01 pacote de coco ralado (ou 100gr)
  • 01 colher (de sobremesa) de fermento

~~~~~~~~~~~~~

MODO DE FAZER:

  1. Coloque todo o milho (sem a água), a margarina e os ovos no liquidificador. Bata, mas sem triturar totalmente o milho.
  2. Acrescente o leite condensado, o côco ralado e o fermento em pó. Bata mais um pouco para misturar bem.
  3. Unte uma assadeira com azeite e trigo, ponha a massa na fôrma e deixe assar (em forno pré-aquecido) em 180º até que o bolo fique bem dourado, em torno de uns 40 minutos.

E bom apetite!

Fácil, não é mesmo!? Por isso amo essa receita, ela é muito, rápida, prática e deliciosa. É o bolo de milho perfeito para aquela visita do café. Espero que tenham gostado! Se quiser outra receita prática, visite essa receita de bolo de banana.

Um abraçasso!

Back to top