O meu obrigado aos amigos que já perdi


Um grande número de pessoas já passaram pela minha vida e finalmente no auge dos meus 30 anos pude compreender que a vida é completamente feita de ciclos. Nele, incluem-se também as pessoas. E cá pra nós: tem coisas que são melhores quando acabam mesmo, quando ficam no passado. Difícil explicar, imagino quão confuso deve estar sendo para você que lê poder entender. Ou caso chegou até aqui, entenderá perfeitamente.

Não é para ser dramático, é apenas uma auto-análise sobre as amizades que tive. Tem certas histórias do passado que não teriam mais como se repetir exatamente do jeito que foi. Pessoas mudam, coisas ruins e boas acontecem e algumas amizades se perdem naturalmente em meio à esse turbilhão. E olha, já tive grandes amizades — boas e algumas bem ruins. Amigos de conveniência, amigos que sumiram por nada, amigos que me magoaram, amigo talarico, falsianes, amigos que magoei.

O mais engraçado de tudo isso é hoje reconhecer que cada um teve a sua importância. Poi as mágoas que eles causaram me fizeram evoluir… Já fui uma pessoa bastante fraca, inocente. Boba mesmo. Lembro da minha mãe incansavelmente abrindo meus olhos quando via que eu me dedicava demais a alguma amizade ~ eu ria ~ bem sabia ela que não adiantava me proteger, mais cedo ou mais tarde eu iria me magoar. E em cada momento desses que me decepcionei, levantei, ergui minha cabeça e bingo: um novo amigo ou uma nova turma à minha espera e dessa vez — eu já era uma outra pessoa. Renovada à cada cara quebrada, sempre seguia em frente.

Mas prefiro encarar esses momentos de frustração não como algo ruim, pois de certo modo dei boas risadas com algumas dessas pessoas e elas comigo, não podemos negar isso. E faz parte da vida reciclar, sejam nossos sentimentos, nossos sonhos e ~ por que não ~ as amizades também. Não estou dizendo que não tenho mais antigos amigos, muito pelo contrário. Muitos amigos de infância falo até hoje, pessoas que conheço há mais de 20 anos. O que quero dizer é que, independente do que aconteceu, cada um que passou em minha vida eu serei grata.

Estou desapegando das mágoas, me despindo dos absurdos que a vida criou para mim. Não significa que retomarei certas amizades, mas pra mim o que passou, passou. Não vou mais viver disso. Amigos não mais amigos: eu sou grata. Desde a minha vizinha Aline que brincava comigo quando eu ainda mal sabia ler até pessoas que recentemente me magoaram ~ e que tenha magoado ~ de alguma maneira e não tenho mais contato algum. O meu sentimento será o mesmo… gratidão.

Se hoje sou mais casca grossa quando preciso, se hoje sei que a vida não tem apenas dias coloridos mas ao mesmo tempo carrego boas bagagens, a culpa é toda de vocês. Aos bons ~ e maus ~ amigos. Fica aqui um simples agradecimento àqueles que contribuíram para a opinião que formei e que tenho hoje. O meu obrigado aos amigos que perdi.

Beatriz Aguiar
Sobre mim

Criadora e criatura do Since85. Tem o humor mais oscilante da internet, viciada em café, livros, rock e metal progressivo.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

126 mil vezes obrigada
126 mil vezes obrigada!
June 06, 2017
Não se culpe por dar-se um tempo Since85
Não se culpe por dar-se um tempo
May 04, 2017
intensa bia aguiar
intensa, como a vida deve ser
July 27, 2016
dia internacional da mulher
Afinal, o que nós queremos?
March 08, 2016
campo com flores
Adeus, ano velho
December 29, 2015
2015
2015: Fatos importantes + Aprendizados
December 22, 2015
Um conto de natal em Nova York
Conto: Pequeno grande Frankie
December 11, 2015
o fim de todo ano
O fim de todo ano.
December 03, 2015
nós duas em 2007. ♥
Saudade, meu sobrenome do meio
November 02, 2015

Comentários via Facebook

32 Comentários

maritrindade
Responder 16/11/2015

Bia, concordo total contigo... Antes, queria ter um monte de amigos, queria ser amiga da turminha dos "populares". Depois, quis ter meus antigos amigos de volta, queria que o tempo voltasse pra eu poder aproveitá-los. Hoje, quero somente pessoas verdadeiras do meu lado, pessoas que entendam e me aceitem, e acho que estou encontrando algumas dessas por aqui!
Você é uma delas!
Xero...

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Nem fala, Mari. Eu era exatamente assim, quando somos jovens somos tão tolos!
    E às vezes, muito mais vale ter amigos assim, que mesmo longe fisicamente sempre nos tratam bem, não rola picuinha e nem fofoquinha.
    Que linda! Também adoro você! :))
    Um mega beijo e uma linda semana pra nós!

    Bia

Natália
Responder 16/11/2015

:)

Odeio Sagu
Responder 16/11/2015

Me identifiquei muito, Bia!
Tenho sempre essa coisa de refletir sobre as amizades, os que foram, os que ficaram e o que em mim ficou de cada um deles. E é tão importante ter essa consciência de que passamos por vários ciclos e nem sempre as pessoas nos acompanham de um para outro e vice e versa. E que independente de magoas, mancadas, ou a forma como alguém saiu da nossa vida, em nós sempre fica alguma bagagem, algo que aprendemos, algo que muda alguma coisa inclusive no jeito de lidar com quem ainda virá. E no final das contas acho que é isso mesmo né? Cada ciclo tem suas superações e suas lições, e com certeza o agradecimento é a melhor forma de seguir em frente.
Adorei o texto *-*
Beijos, Bá

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Que bom, te identificasse mesmo Bá. Falasse tudo o que queria que entendessem dele! Realmente, independe de ter sido algo bom ou ruim, o importante é o aprendizado!
    Um beijo grande, linda :**

    Bia

Líley Carla
Responder 16/11/2015

A gente cresce, amadurece e finalmente entende que mais importante que a quantidade é a qualidade. De vez em quando a gente tem que dar F5 na vida, inclusive nas amizades, né? Só fica quem realmente nos faz bem.

Um abraço, flor!

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Com certeza, Lí. Eu já dei muito F5 na vida! hahaha!
    Por vezes os amigos se vão sem nem percebermos, outros se vão porque é realmente necessário,
    Que venham os bons amigos. Sempre!
    Outro abraço!

    Bia

Ronize Aline
Responder 16/11/2015

Oi, Bia.
Às vezes não é preciso que nos magoem ou nos decepcionem para nos afastarmos. Simplesmente seguimos caminhos diferentes e, de repente, alguém que tinha tudo a ver conosco passa a não fazer mais tanto sentido. Senti isso que me mudei de Santa Catarina para o Rio de Janeiro, justamente quando estava entrando na faculdade. Os caminhos que escolhi acabaram me afastando dos meus amigos de infância, que também tomaram caminhos diferentes. Ficou um carinho muito grande, pois são parte importante da minha vida. Mas imagino que se os conhecesse hoje talvez não fossem pessoas com quem eu teria afinidades. E isso não é necessariamente ruim. Apenas mostra que mudamos ao longo da nossa vida e vamos nos reconfigurando com isso.
Beijocas,
Ronize Aline

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Oi, Ronize!
    Sim. É como eu disse no início, tudo se resume a ciclos na vida da gente. Já tive vááários ~ e vários mesmo! ~ amigos que o tempo e os caminhos nos afastaram. O respeito permanece, mas se hoje os encontro, parece que nunca tivemos intimidade. E cada caso é um caso, pois tem outros que posso ficar anos sem vê-los e quando os encontro é como se nunca passamos um dia sem nos falar!
    Imagino, mudar de estado deve ser mega novo e isso automaticamente anula um pouco os amigos antigos, muda a rotina, o contato e assim a ideias também. Como falei dos amigos que me afastei sem grandes motivos, apenas por tomarmos rumos diferentes, imagino que seja o mesmo contigo. Fica estranho, né?
    Já tem pessoas que conhecemos e em 5 minutos encontramos mil afinidades. E assim segue a vida!
    Muito bom ter mais uma catarina por aqui :))
    Um beijo grande!

    Bia

Robécia
Responder 16/11/2015

Não Bea, nossa na hora que vi o teu comentário gelei rsrs
É que na verdade mudei o nome fiz algumas alterações rsrs espero que vá com o nome certo agora :D
Não sei pq não consigo te responder direto de lá rs Enfim...

E sobre o texto é incrível como vamos criando filtros e até mesmo entendendo algumas situações que passamos, pessoas que passaram na nossa vida, é tudo tão abstrato mas de uma foma muito bonita, eu acho.
Mesma que algumas magoas estejam ali, fizeram quem somos hoje.

Texto incrivel Bea, é sempre um prazer vir aqui!

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    HAHAHAH, tu sumiu do Facebook, menina! Hunf. Ontem mesmo ainda deixei uma postagem no grupo mega preocupada que você deletou o teu perfil e o blog, depois finalmente descobri que tinhas mudado o domínio dele. hahaha! Faz mais isso, não!

    Ahhhh! Obrigada. ♥
    Sempre fico muito feliz quando gostam de algo que escrevi e se identificam.
    Um beijão, Rô! E some não! hahahaha

    Bia

Paloma Silva
Responder 17/11/2015

Nada como várias quedas pra nos ensinar como caminhar na vida hahaha Chega um momento que a gente até ri do que foi ruim, e isso é bom até.
Ps. Essa coisa de amizade é tão complexa, né? É tão forte, intensa. Quando amigos: muuito amor e alegria. Agora, se acaba a amizade: a raiva e o desprezo também são em grande quantidade.

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Sim! E foi exatamente isso que eu quis frisar com o texto. Não podemos deixar que mágoas nos tirem o que foi bom, já passei por tantos problemas envolvendo amizades e tal. Prefiro passar uma borracha em cima delas e tocar a vida adiante. Mágoas só trazem sofrimento, dor e tristeza. Que fiquem no passado!
    Tem amigos que se afastaram de mim que não entendi nada até hoje. Fiquei magoada, com raiva, revoltada mesmo! Mas tô trabalhando isso, pois também já fiz isso com outros amigos e acredito que não tenham ficado com "raiva" de mim. O negócio é olhar pra frente e levar só o que foi bom. :))
    Um beijão, linda. Uma boa semana pra nós!

    Bia

Lari Reis
Responder 17/11/2015

Dentre os amigos que eu já perdi, alguns foram tão importantes, que às vezes me é difícil aceitar que a vida é cíclica. Digo, lembrar daquela época me faz querer tanto, tanto voltar... Em algumas dessas, reencontrei essas pessoas e constatei que realmente seria impossível. Dessas coisas que a gente já sabe, mas precisa confirmar, entende?
O melhor, para mim, é pensar nos ciclos que se cruzam. Nos amigos de outras épocas que, quando a gente reencontra, percebe que é amigo dessa época também e vai poder ser a qualquer momento :)
Enfim, a todos eu tb agradeço!

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Então, Lari. Andei perdendo uns amigos esses tempos agora que nossa, doeu bastante. Amigos que se tornaram amigos porque antes de tudo, eram MEUS amigos, sabe? Eu fui o elo entre a amizade que hoje eles mantém e que antes nem se gostavam. Com o tempo (não sei porquê), começaram a fazer programas sem mim e pareciam me evitar mesmo. Enfim, hoje superei, mas foi mega difícil. Magoaram muito o meu coraçãozinho!
    E tem amigos assim! E é tão bom, o tempo afasta, aproxima e vemos que nada mudou!
    Por isso agradeço a todos, por mais que o ensinamento seja difícil de digerir.
    Um beijão, Lari!

    Bia

      Lari Reis
      Responder 17/11/2015

      Nossa, isso deve ter sido beeem difícil mesmo, Bia :( Já vivi situações de ser excluída de grupos sem saber o motivo e isso já é bem chato também. Continuo valorizando os meus poucos e bons que permanecem. Os outros, como tudo na vida, são aprendizado.
      Bjs

Emerson
Responder 17/11/2015

Me identifiquei tanto com seu texto que compartilhei no Facebook.
Estou passando por uma situação assim, mas o amigo é ligado a mim ainda e tenho medo de perder essa amizade.

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Que bacana você ter compartilhado, te agradeço!
    E bah, Emerson. Imagino como tu deve estar.. tempos atrás andei perdendo algumas amizades que eram bem importantes pra mim e na real até hoje não entendi muito bem como tudo aconteceu. Às vezes é assim mesmo, independe de nós e do nosso entendimento.
    Mas hey, se tens medo, converse com a pessoa. É sempre o melhor caminho :))
    Um abraço e boa sorte.. e converse mesmo. Uma boa conversa pode evitar muito desentendimento!

    Bia

simone
Responder 17/11/2015

Amei o texto, inevitavelmente pessoas se vão, nos deixam um pouco delas e levam um pouco de nós. O impostante é oque fazemos com isso. Beijos

    Bia Aguiar
    Responder 17/11/2015

    Obrigada! E sim, o mais importante é pôr em prática o que aprendemos. Se não, qual seria a finalidade de nossos aprendizados?
    E com certeza, não é só a gente que aprende. Nossos amigos também aprendem e muito com nós! Sempre deixamos um pouquinho de nós com eles.
    Um beijo, Simone!

    Bia

Thaís Gualberto
Responder 18/11/2015

Bia,
Eu me identifico tanto com esse seu texto <3 Esse ano eu rompi com aquela que foi minha melhor amiga desde meus quinze anos e me senti incrivelmente melhor por isso. Ela mudou tanto como pessoa (para pior, na minha opinião) nos últimos 3 anos que deixou de ser a pessoa que conheci e que foi minha amiga, minha irmã, por tanto tempo e se tornou uma pessoa que me causava um tremendo mal-estar, que eu evitava a todo custo e me fazia me sentir mal comigo mesma por não ter o ímpeto de dizer na cara dela que eu estava de saco cheio, que eu detestava o novo eu dela. Eu me arrependo por não ter colocado um ponto final antes e sei que não o fiz por dois motivos: não queria me indispor e também por saudades do tempo em que éramos amigas de fato - embora sempre tenhamos sido tão diferentes uma da outra.

Enfim... Já tive amigos que sumiram e que não consigo encontrar, apesar de procurar. Já tive falsas amigas. Tenho amiga carente, amiga independente. Amigo cretino, mas verdadeiramente amigo. Amigo só para debater política, amigo com quem não debato política para não estragar a relação hahaha Amigos que gostaria de ter tido, amigos que preferiria nunca ter conhecido. E tenho uma amiga gêmula que conheci pelo facebook debatendo nossa novela mexicana favorita e que é amiga para a vida inteira apesar da distância geográfica que nos impede de fazer os programas de meninas que gostaríamos de fazer (sim, shopping hahah).

Belo post, Bia! :D <3
Beijoos!!

    Bia Aguiar
    Responder 20/11/2015

    Ah, que bom ler isso Thaís. ♥
    Fico feliz por tu ter se desvencilhado de algo que te fazia mal. Eu passei por situações parecidíssimas com a tua, amizades que eu amava mas que estavam me fazendo mal, o afastamento foi natural mesmo nesse caso. Hoje se vejo, até cumprimento, dou um sorriso, mas não passa disso. É estranho, não rola mais!
    Que bacana o teu comentário. Me deixou mesmo feliz!
    Um beijo grande um lindo fim de semana!

    Bia

      Thaís Gualberto
      Responder 20/11/2015

      Que legal quando um comentário nosso faz alguém feliz! :)
      E o fim da nossa amizade foi uma coisa meio tensa, ela começou a postar indiretas públicas no facebook às vésperas do meu aniversário esse ano e ficou superofendida e se fez de vítima por whatsapp ao descobrir que eu tinha escrito no meu blog uma crônica com uma certa metáfora ao fim de nossa amizade. Foi bizarro, mas depois de dizer tudo o que estava entalado havia uns dois anos, eu me senti ótimo. Eu continuo tendo certo receio de encontrá-la por aí nos ônibus, ruas e shoppings da vida; não sei se seria capaz de cumprimentar, como manda a boa educação. Graças a Deus, ainda não encontrei com ela desde então.
      Beijooos!! :*

Waleska Mendes
Responder 20/11/2015

Sei como é... sinto o mesmo que ti. Alguns servem para nos fortalecer contra promessas falsas ou fáceis de amizades e nos tornarmos mais sábias daquelas pessoas que, em verdade, se aproximam de nós para dificultar qualquer progresso nosso. Eu nem caio nessa e me identifico super com o seu post. Bjão!

    Bia Aguiar
    Responder 20/11/2015

    Que bacana, fico feliz que tenhas te identificado! É meio chocante mas é real, muitas pessoas nem valem o nosso esforço em manter a amizade. Já outras, não precisamos fazer um mínimo esforço para tê-las por perto.
    Outro beijão pra ti, linda!

    Bia

Gisley Scott
Responder 01/12/2015

Que texto lúcido !!! Existem perdas que vem para o bem. Ás vezes já não cumpre mais o seu propósito. É como algo que a gente insiste em manter mas que a gente sabe que não vai se beneficiar. Fica só ali, ocupando espaço.Espaço esse que poderia ser usado para uma amizade construtiva, verdadeira, que soma. Tive que me desfazer de uma amizade dessas. Foi doloroso, mas já não machuca em doses homeopáticas como costumava.

Gostei daqui.

Querido Deus obg por me exportar!

    Bia Aguiar
    Responder 01/12/2015

    Que bom que você se identificou, fico tão feliz quando alguém entende por completo o que escrevi, quando rola essa troca. Mas nesse caso, nem tão feliz assim, sei como é ter que se desfazer de uma amizade que FOI tão boa. Só posso te desejar boa sorte e que em breve encontre muitas outras novas e BOAS amizades, pois assim é a roda da vida. Sempre em frente!
    Um mega abraço e seja super bem vinda por aqui viu?

    Bia

blogcrimesemcastigo
Responder 03/12/2015

Mas.. E as vezes que eu magooei? Até sem intenção.. Como lidar com a culpa?

    Bia Aguiar
    Responder 07/12/2015

    As vezes que magoamos é o ciclo da vida, às vezes nos magoam, outras magoamos.
    O importante é seguir sempre em frente!
    Um abraço!

    Bia

Rafael Henrique
Responder 25/08/2016

Eu realmente precisava ler alguma coisa desse tipo. Eu sou muito jovem, tenho 18 anos, sei que ainda falta experiência e tudo mais. Tenho/Tinha um amigo desde o ensino fundamental, saiamos juntos, ele sempre vinha aqui em casa, eu sempre ia na casa dele... Fomos para praia juntos várias vezes, porém, nesse ano, ele se tornou uma pessoa bem diferente, mais áspera e orgulhosa, eu acredito que eu também mudei, mas como sou o protagonista da minha vida, não consigo perceber muito. Dói-me o coração sempre que escuto músicas que lembram os "velhos" tempos, tipo RHCP, tempos quando tínhamos 9,10,11,12 até os 17 anos. Realmente, acredito que essa amizade acabou, começou a ser um peso, eu estava insistindo na amizade, chamava ele pra sair, para conversarmos mas sempre negava. Bem... É a vida, irei superar, eu realmente gostava e ainda gosto muito dele, mas precisamos saber distinguir coisas que nos fazem bem.

    Beatriz Aguiar
    Responder 08/09/2016

    Que coisa mais linda e sincera esse teu comentário, Rafael. Seja muito bem vindo aqui :))
    E pode aquietar esse coração aí, acontece com todo mundo de verdade. Como você disse "eu sou muito jovem, tenho 18 anos, sei que ainda falta experiência e tudo mais" é realmente por vivenciar tais situações poucas vezes que faz você sentir com muito mais intensidade, e decepção.
    Tive uma amiga que me era muito especial, companheira pra tudo, a gente se falava todos os dias. Com o tempo a amizade mudou, ela mudou e tudo piorou. A gente não conseguia mais se entender e ela era grossa comigo, principalmente na internet e a nossa amizade virou uma terapia pra ela, me tornei uma pessoa que servia apenas para ela reclamar da vida, das outras pessoas, do trabalho... algo que passou a me fazer mal de verdade.
    No fim, dei um basta. E ela também. Nossa amizade esfriou e hoje mal nos falamos. Continuo torcendo por ela e para que ela mude um dia, pois sei que continua com os mesmos pensamentos de reclamar e reclamar.
    Sobre doer o coração, isso vai acontecer sempre. Mas nessas horas que tu deve te lembrar dos bons momentos e apagar o que ficou de ruim dessa relação. E quem sabe futuramente, as coisas voltem aos eixos outra vez? Nada como o tempo e o amadurecimento que a vida traz junto dele! Conselho de quem já viveu muitas decepções com 'amigos' :)

    Um abraço forte, Rafa!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

comenta aí, vai!