5x Chris Cornell


Hoje o dia amanheceu nublado e triste na minha cidade. Tempo cinzento mesmo.

Aí quando entro nas minhas redes sociais pra dar aquela conferida matinal rápida, eis a primeira notícia que vejo: Chris Cornell faleceu aos 52 anos de idade. Até a natureza já sabia disso.

Foi do nada assim. Inacreditável, né? Tô inconformada até agora.

Então resolvi deixar aqui minha homenagem pra esse cara mega talentoso que admiro tanto. Separei cinco músicas pra celebrar não a morte, mas a vida musical dele. Lembrando que o Chris é da leva grunge de Seattle. Mesma turma do Eddie Vedder (Pearl Jam), Layne (vocal do Alice in Chains, falecido em 2002) e Scott Weiland (vocal do Stone Temple Pilots, que faleceu em dezembro de 2015). É triste ver que através dos anos perdemos — e perderemos — muitos artistas talentosos e tão respeitados dentro do Rock.

Chris Cornell estava na ativa com o Soundgarden fazendo shows pelos EUA, ano passado fez uma turnê solo mundial e andou se reunindo esse ano com os caras do Audioslave, e especulavam sobre um possível trabalho novo. Vai ficar a saudade, e por isso mesmo não podemos deixar de lado todo o material incrível que ele nos presenteou.

Um até breve, Chris. (1964 – 2017)
Agora você é realmente o céu e a noite.

Beatriz Aguiar
Sobre mim

Criadora e criatura do Since85. Tem o humor mais oscilante da internet, viciada em café, livros, rock e metal progressivo.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Guns N' Roses - Not In This Lifetime Tour - Curitiba
Guns N’ Roses :: Not In This Lifetime Tour :: Curitiba
December 07, 2016
The Beatles
The Beatles: minha playlist no Spotify
August 18, 2016
David Gilmour - Curitiba
David Gilmour em Curitiba :: Show na Pedreira Paulo Leminski
December 17, 2015
Rock In Rio 2016
ROCK IN RIO: Os melhores do festival
September 29, 2015
ledzeppelin_blogsince85
Uma banda do passado que eu traria para o presente
August 03, 2015
renato-russo_blogsince85
Renato Russo: Diário pessoal é publicado como livro "Só por Hoje e para Sempre"
July 30, 2015
MichaelJackson-blogsince85
O atemporal Michael
June 30, 2015
anos80-90_blogsince85
Infância 80/90: Os ‘porquês’ de ser a melhor
March 09, 2015

Comentários via Facebook

10 Comentários

Bárbara Rigathi
Responder 19/05/2017

Que tristeza!! Pra mim o maior da era grunge, se manteve em evidencia todo esse tempo apenas pelo seu talento!! Dói..

    Beatriz Aguiar
    Responder 19/05/2017

    Pra mim foi ele quem teve a carreira mais sólida de todos da era grunge. Convenhamos que foi um sucesso imenso esses mais de 30 anos de carreira: 3 bandas, trabalho solo, parcerias com inúmeros artistas, trilhas sonoras em vários filmes..
    O cara será uma lenda pra sempre! E a voz dele, né? Não precisamos falar mais nada. ♥

Thaís Gualberto
Responder 21/05/2017

Nunca fui fã, mas conheci o trabalho dele com o Audioslave e me apaixonei por músicas como Like a Stone e Show Me How to Live, muito por causa do timbre maravilhoso e único de Cornell. Muito novo ainda, uma lástima... Entendo o seu sentimento, pois tive sentimento similar quando morreu George Michael ano passado, também demasiado jovem e um dos músicos que eu mais admirava... Realmente uma pena que tenham deixado tão cedo esses dois e tantos outros grandes músicos :/

Beijos e excelente semana!

    Beatriz Aguiar
    Responder 22/05/2017

    Muito triste tudo isso, principalmente por ser um cara do bem envolvido com causas humanitárias (ele tem uma fundação que ajuda crianças vítimas de violência e refugiados), super sossegado e que aparentemente vivia bem com sua família e carreira.
    Mas são coisas que nunca vamos entender mesmo, só a pessoa pra saber seus próprios temores. Só sei que fiquei indignada com isso e ainda estou até agora, é muito talento desperdiçado mas pelo menos ainda nos deixou o seu trabalho com o Soundgarden e o Audioslave pra sempre.
    Enfim, os bons sempre morrerão cedo demais.

    Beijo enorme, Thaís. E uma linda semana pra ti ;*

    Beatriz Aguiar
    Responder 22/05/2017

    Uma pequena observação: há muito tempo eu não me sentia tão afetada com a morte de um artista, desde 2009 quando MJ morreu. Tô meio em choque até agora, principalmente pela causa da morte. Mas com o tempo vamos superando, ou não.

    Beijo!

      Thaís Gualberto
      Responder 22/05/2017

      Para mim as mais pesadas foram Whitney e George Michael. Cresci ouvindo tudo dos dois, então é sempre um choque quando nos damos conta que já não teremos nada novo desses grandes. E no caso da Whitney foi ainda mais bizarro, pois não faz muito tempo a única filha dela morreu de forma bem parecida... De todo jeito, ao menos deixaram um legado musical incrível do qual certamente ainda desfrutaremos muito :)

      Beijos!

Dai Castro
Responder 23/05/2017

Eu fiquei chocada com a notícia! Realmente é uma perda muito grande para o Rock, admiro muito o trabalho dele, vai ficar pra sempre, ainda bem <3
Lembro que a primeira música que ouvi foi Like a Stone! Me traz bastante nostalgia!
Beijos!
Colorindo Nuvens

    Beatriz Aguiar
    Responder 30/05/2017

    Nostálgico ouvir as músicas que tanto gostamos, né? Passa um filme na nossa cabeça.
    E foi uma perda enorme que ainda não processei direito :( admiro demais o trabalho e a pessoa que ele era, mas nessa vida nada é pra sempre mesmo.
    Já me conformei que a vida é injusta nessas circunstâncias.

    Um mega beijo e bem vinda aqui :)

Clara Rocha
Responder 29/05/2017

Eu fiquei muito triste quando vi a notícia da morte do Chris Cornell, principalmente porque tenho uma amiga que é bem próxima a mim que ama demais ele, foi até no show acustico que ele fez aqui no Rio de Janeiro. Eu fiquei arrasada, ouvi o dia inteiro as músicas dele. Eu gostava muito, confesso que gosto até das músicas solos dele, até aquela que ele fez com o timbaland. Fico triste, quando esses artistas fenomenais partem, parece que o mundo fica mais vazio sabe ? que bizarra essa sensação...

    Beatriz Aguiar
    Responder 30/05/2017

    Nossa, Clara. Eu também ouvi muito as músicas dele no dia e continuei nos dias seguidos. Voz linda que tanta tristeza cantou, ninguém imaginaria que era ele abrindo seu coração nas canções, ou imaginava pois ele não escondeu que passou por sérias crises de depressão e ansiedade.
    O que fica é o legado, o trabalho e a saudade de um artista completo que iniciou um movimento importante dentro da música nos anos 80s/90s. Eu fiquei chocada foi de estar ouvindo tanto o grunge antes de ele falecer, talvez coincidência apenas.
    Enfim, doeu e ainda dói muito. Essa sensação do mundo cada vez mais vazio também tenho, é estranho né? :(

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

comenta aí, vai!