31 e eu envelheci.


“Ontem dia 13/06, fiz 31 anos. Olha que doideira, dia 13 fiz 31. Poxa, 31 anos. Caramba.
Não que eu me sinta como se ainda tivesse 15 ou 20 anos, longe disso, mas é que a vida passa voando, cara. Sério. Parece papo de tiozinho mas não é, não. Eu olho para a foto do post e lembro exatamente do meu irmão falando “faz assim com a mão, ó” e foi tipo, ontem. E ainda “ontem” existia o receio do primeiro dia de aula, a praia todo fim de semana no inverno com meus pais e brincar de taco com meus irmãos, os ciúmes da minha irmã e por isso rasgar o pôster dela do grupo Dominó. Parece ontem que estreava o filme “Esqueceram de Mim” na TV, que passava Família Dinossauros e Simpsons na Globo domingo à noite.

Aos poucos a vida foi mudando, os anseios e os pensamentos também. Quando criança, era apenas uma moleca que gostava de jogar videogame e bola, sempre com um rabo de cavalo na nuca e tornozeleira. Vivia brigando com colegas na escola, enfrentando professor, putz. Gostava de ser revoltada e queria manter essa pose, acho que era a minha defesa. Quantas vezes fui pra diretoria! Conversava a aula toda com os amigos na sala. Moletom amarrado na cintura, calça, camiseta e all star. Tá bom, certas coisas não mudaram tanto, mas se comparar uma foto minha com aquele tempo vão ver que muito mudei. E não falo fisicamente.

A adolescência veio um pouco tarde pra mim, só aos meus 17 anos comecei — bem raramente — a sair de casa. Tinha hora pra chegar, sair só com os irmãos ou amigos conhecidos dos meus pais. Normalmente segurava vela, era aquela amiga que ficava cuidando pra ver se vinha alguém e o casal assim ficar em paz. HAHAHAH, #sdds adolescência 90/2000. Quantas amigas minhas “me deixaram para trás” nesse tempo. E assim foi, uma a uma encontrando um namorado pra chamar de seu. Eu, desapegada de demonstrações de afeto e telha pra isso, acabei ficando solteira e as amizades também foram aos poucos mudando.

Com os meus 18 anos veio a sonhada liberdade e a primeira moto, as saídas com as amigas eram mais frequentes. E não tinha chuva, frio e nem ventania que me deixasse trancafiada em casa. Aos 19 o primeiro carro e aí não parei mais, um pouquinho mais rebelde, uma boa caranga e aprontei várias. Andei com uma penca de gente, gente de tudo quanto é tipo. Gente boa, gente que não prestava, gente legal, gente que não valia um centavo furado, gente que era fiel a mim, gente que me apunhalou na primeira oportunidade. Fiz meus pais se descabelarem nessa época. Mas na medida que a idade foi passando, a mente foi acalmando e ganhando um pouquinho de sabedoria, daquela que só com o tempo e algumas faces quebradas a gente adquire.

E depois de tudo isso, me apaixonei e finalmente conheci o “tal do amor”, encontrei alguém pra mim, que encaixou daquele jeito maroto. Foi quando encontrei alguém que perdi minha mãe, a pessoa do coração mais puro que já conheci. E assim caí, do alto de um prédio de 40 andares, de cabeça. Perdi o meu chão. Meus pais diziam que namorando eu havia amadurecido e me tornado uma pessoa mais calma e consequentemente melhor, mas eu não acredito muito. Era corujisse deles. Acho que só aprendi certas coisas da vida adulta vivendo sem minha mãe, com esse choque de realidade. Tive que me virar com as minhas coisas, cuidar do que ela sempre cuidava pra mim. Acho que o maior aprendizado foi que as pessoas que amamos não vivem pra sempre e mesmo quando elas não querem, elas partem da nossa vida e não voltam mais. E cara, isso me deu um jab de direita bonito. Cá entre nós, desde então me espelho nela pra viver, não carrego todos os sentimentos nobres dela, mas costurar, cozinhar, o meu relacionamento com o meu marido.. tudo faz parte desse espelho. Não tê-la aqui me fez querer ser cada vez mais semelhante à ela. Pra me confortar um pouco, talvez. E depois do luto, dei mais um passo e casei.

É.. parando pra pensar foi coisa pra caramba que eu vivi.

Olhando para trás ao longo desses 31 anos, sofri, chorei, sorri e amei. Fui feliz, fui triste. E não mudaria nada na minha história, não me envergonho das porradas que dei e que levei da vida. Tenho muito orgulho da minha origem e o maior aprendizado dela é que minha família passou a ser muito mais importante do que eu imaginava ser quando criança. Acho até que envelheci com qualidade, chegar aos 31 anos um pouco amadurecida, hoje em dia, não é pra todo mundo.

Hoje com alguns vários fios brancos na cabeça, entendo os valores da minha mãe. Sabe esses fios brancos, a nossa casca, tudo vira pó. A essência, esta sim vai fazer história uns bons anos adiante mesmo quando você não estiver mais aqui. Eu envelheci mesmo, continuo envelhecendo sem parar, você também. Mas lembre que a nossa alma, essa sim precisa do maior cuidado.”

P.s: Quero agradecer ao meu marido, meu pai, minha sogra, meus irmãos e meu afilhadinho lindo que passaram o dia de ontem comigo. P.s²: Gratidão a todos os que tiraram um minuto do seu dia pra me deixar uma palavra de carinho. P.s³: Quando o seu filho for revoltado na infância e adolescência, não se desespere, ainda há uma esperança para ele.

Um abraçasso da segunda idade.

Beatriz Aguiar
Sobre mim

Criadora e criatura do Since85. Tem o humor mais oscilante da internet, viciada em café, livros, rock e metal progressivo.

TALVEZ VOCÊ TAMBÉM GOSTE

Coisas que mais amo em você
8 coisas que mais amo em você ♥
June 21, 2017
Em cada novo ano um aprendizado - Since85
Em cada novo ano um aprendizado
June 16, 2017
126 mil vezes obrigada
126 mil vezes obrigada!
June 06, 2017
Um poema para minha mãe
Um poema para minha mãe
May 15, 2017
Não se culpe por dar-se um tempo Since85
Não se culpe por dar-se um tempo
May 04, 2017
As várias versões de mim
As várias versões de mim
March 17, 2017
Aniversário do blogSince85
731 dias de Since85. ♥
February 10, 2017
Guns N' Roses - Not In This Lifetime Tour - Curitiba
Guns N’ Roses :: Not In This Lifetime Tour :: Curitiba
December 07, 2016
Ilustração
Oi pra você, fim de outubro
October 25, 2016

Comentários via Facebook

18 Comentários

Bárbara Hernandes
Responder 15/06/2016

Parabéns, Beatriz. Adoro o seu jeito de escrever, que belas palavras. Eu estou chegando nos 30 e já começo a fazer essas reflexões a cada aniversário, mas tenho acreditado, cada vez mais, que envelhecer é bom. A gente fica mais maduro, atura menos bobagem dos outros, sei lá.

Sinto muito pela perda da sua mãe. Perder uma pessoa tão próxima não é nada fácil (perdi meu pai em 2013) e às vezes a gente ainda não acredita que a pessoa se foi desse plano. Aí a gente tira forças lá do fundo pra continuar e descobre que é possível - e concordo com você: a gente descobre que família é importante de verdade muito depois da adolescência.

Beijos!

Barbaridades - Intercâmbio e vida na Irlanda

    Beatriz Aguiar
    Responder 16/06/2016

    Poxa. Fico feliz em ler o teu comentário, de coração mesmo. Obrigada, Bárbara.
    Demais que em breve serás balzaquiana, dizem ser a melhor idade da mulher (ainda não posso lhe garantir isso, hahaha). Eu sempre fico reflexiva e acontece desde criança, sempre achei algo bom na real. Colocar tudo na balança e pesar bem os acontecimentos do último ano e isso ajuda muito a evoluir. E coincidência, uma das qualidades que adquiri com o tempo e mais se destaca é essa: aturar menos bobagem dos outros. HAHAHAH

    E sinto muito pela perda do teu pai. Bem nessa, tem momentos que parece que tudo foi mentira e a gente vai acordar e vai estar tudo bem. É o que os nossos corações querem, né? A nossa força com certeza vem boa parte da família, porque a gente entende um a dor do outro. Na infância ela era muito importante, hoje é ainda mais. Adolescência é meio que uma fase obscura que faz a gente perder um pouco o foco, no meu caso foi assim.

    Obrigada mesmo pelo carinho, viu? E vamos seguindo em frente, balzaquianas unidas!
    Um beijo enorme, Bárbara.

Isabella Cas
Responder 15/06/2016

Parabéns Bia!
Eu confesso que sempre fui do tipo certinha, filhinha da mamãe, exemplo, minha família tem o maior orgulho até hoje de dizer que eu nunca dei trabalho... Mas que chato né? rs
A questão é que admiro mto você! Seu estilo, seu jeitão, mas principalmente seu coração, não sei como consegue ser tão talentosa e fofa! <3
Feliz aniversário, mta coisa boa! Deus te abençoe sempre! bjs

    Beatriz Aguiar
    Responder 16/06/2016

    Óun.. Isa linda, obrigada. <3 Não é difícil imaginar que você não deu trabalho algum na adolescência, és praticamente um anjinho! HAHAHHAAH, sério! E chato nada. Deve ser bom ser um bom exemplo a vida toda e ser sempre elogiada. Mas quando se é revoltado e amadurece, também tem os seus triunfos, viu? HUAUHAUHAUH O melhor de tudo é saber que você pode mudar, evoluir e crescer. E que nunca, nunca é tarde pra isso :)) Muito obrigada mesmo pelo carinho de sempre. Saudades snapchat (dessa vez cortaram o meu barato!) HUAUHAUHAHU =((( Um beijo grande, Isa-bela.

Gabriela
Responder 15/06/2016

Que lindo esse post, feliz aniversário, feliz 31, Bea!
O gostoso desses registros é voltar pra ler daqui um tempo. Blogar, né <3

    Beatriz Aguiar
    Responder 16/06/2016

    Opa. Obrigada, Gabi! Não é sempre que se faz 31 aninhos, hahaha.
    Com certeza! O principal motivo do blog é exatamente esse, guardar e relembrar cada momento. <3 Um beijo!

Dani Santos
Responder 16/06/2016

Nossa, que post mais lindo! <3 E que só li verdadees. Depois que eu fiz 20 anos parece que o relógio começou a andar mais rápido. Em maio fiz 23 mas ainda me sinto adolescente, hahaha. Só sei que quando abaixo a cabeça e ergo de novo o Natal já tá chegando e a vida passando. O negócio é aproveitar da melhor maneira possível. Ah, feliz aniversário atrasadinho, hahaha! Espero que o seu dia tenha sido muito especial! <3 Beijoos.

    Beatriz Aguiar
    Responder 20/06/2016

    HAHAHAH, sei como é se sentir adolescente. Eu fiz 31 semana passada e continuo me sentindo uma! HAHAHAH
    E obrigada, Dani! <3 Não é por nada, mas quanto mais tua idade aumenta, mais rápido o relógio, dias, meses e anos passam! :((((((((( Mas não é tão ruim, com a idade aumentando a gente vai ficando mais seguro de si e mais decidido e bem resolvido, vai por mim! ;D Obrigada mesmo pelo carinho, foi um dia bem especial mesmo! <3 Um beijo enorme!

Luuhmarcely
Responder 17/06/2016

Belíssimo post. <3
Quando falaram pra mim que depois dos 18 anos o tempo voa, a pessoa (que não lembro exatamente quem) não estava brincando. Tenho 23 (faço 24 em novembro), mas estou preocupada com meus 25. Não pensei que chegaria tão rápido assim. Não estou preparada. Hahahah.

É a minha primeira vez aqui no seu blog e estou gostando bastante daqui. Já curti a fanpage e também o bloglovin. Com certeza, voltarei mais vezes. <3

Ah, e feliz aniversário.

Besos.

    Beatriz Aguiar
    Responder 20/06/2016

    Oi, Luh. Poxa, obrigada! <3 Seja super bem vinda aqui. E o tempo é cruel mesmo, a gente nunca tá preparada para a idade passar voando, né. Mas por outro lado é muito bom, me sinto muito mais segura hoje do que com 18 anos.. nossa, foi uma mudança e tanto de lá pra cá! Muito obrigada pelo carinho e pelos parabéns, espero que volte mesmo muitas outras vezes aqui :) Depois vou tirar um tempo para conhecer você e seu cantinho também. <3 Um beijo enorme e mais uma vez obrigada!

Lari Reis
Responder 18/06/2016

Bia, estou atrasada para esse post. Aliás, tenho que ver tudo o que eu perdi por aqui...
Mas ainda é tempo de dizer que não demorou muito para você me fazer te ver como alguém que eu gostaria de ter por perto. Todo o seu relato... foi muito bonito saber a origem dos seus valores porque, por mais que pareça comum herdar esse tipo de coisa dos nossos pais, é mais intenso quando a gente reconhece a ponto de querer se espelhar, conscientemente. Eu não tenho ideia do que é perder a mãe e, se eu pudesse, não passaria nunca por isso. Tenho certeza que também vou levar um jab poderoso, quem sabe até dois... E, de certa forma, todo esse seu depoimento sobre a vida, sua vida, me conforta,
Te desejo, de novo, muitos anos de vida... <3

    Beatriz Aguiar
    Responder 20/06/2016

    Óun, Lari. Gratidão sempre. Nem preciso dizer que é recíproco todo o sentimento, né? Te gosto muito, és especial e uma pessoa sensacional. Pessoas como você, fazem desse espaço ser algo incrível, é o que dá gosto de continuar por aqui. Te desejo o dobro do que me desejares e realmente são sentimentos honestos. Por que as pessoas mais legais e interessantes moram à KMs de nós? :(((((
    Enfim, é muito bom quando usamos os exemplos de nossos pais como espelho, isso conforta a alma.

    Um beijo gigantesco, minha querida. Nesse teu coração lindo! <3

Paloma Silva
Responder 18/06/2016

AI MEU DEUS! Bea, me desculpa! Feliz aniversário super atrasado! Eu não vi no fb e pelo jeito não recebi notificação... Bem, te desejo o melhor da vida. Muita saúde, paz e alegrias.

Não te conheço pessoalmente, mas cara, não entendo... eu gosto de você! hahaha. Sei lá, talvez sejam as palavras que você escolhe pra falar.. gosto de ler o que você escreve. E assim, quando a gente entende qual é a da vida, sem querer a gente transcende e eu não sou a razão suprema, mas acredito que você já chegou nesse nível. Então, feliz 31 anos!

Beijos :)

    Beatriz Aguiar
    Responder 20/06/2016

    AHHHHHHH, MEU! Depois desse comentário é claro que tá super perdoada! HAHAHAH
    Obrigada mesmo, de coração. Acho engraçado, vejo vocês falando comigo e parece que a gente se conhece pessoalmente há séculos porque o carinho é gigante, sinto tanto daí quanto daqui.
    Como eu disse pra Lari "por que as pessoas mais legais moram tão longe?" :((((((
    Eu gosto muito de você! E adoro saber que você curte os devaneios que eu escrevo. <3 Um beijo no teu coração e obrigada MESMO pelo carinho, Palominha!

Danielle S.
Responder 21/06/2016

Bia, que bom que aproveitou seu aniversário rodeada de pessoas tão importantes ♥ É a melhor sensação, amar e ser amada por quem importa :)
Olha, quando a pensar em tudo que já aconteceu com a gente... Nossa, estou prestes a fazer 25 anos e um pouco desesperada, hahaha! Minha maior vontade era fazer o tempo congelar, ou voltar alguns anos na minha idade... Mas foi o que você disse, conforme crescemos, aprendemos muita coisa e isso eu não trocaria por nada! :D
Quer dizer.. Pô tempo, desacelera aí! Quero ter mais tempo para aproveitar as pessoas e coisas que amo :P

Beijo! ♥

    Beatriz Aguiar
    Responder 21/06/2016

    Obrigada, Dani. É a melhor coisa mesmo, estar rodeada por quem amamos! ♥
    Sim, normal assustar um pouco.. esse tempo não dá trégua e nem desacelera nunca. Quando a gente vê, chegamos nos 30 anos, menina! É meio desesperador mesmo! HAHAHAHAHAH
    Mas acontece com todo mundo, não adianta entrar em parafuso. O negócio é ver o lado bom que a maturidade traz, os ensinamentos que a vida nos dá, que só vivendo esses 30/31 anos pra saber!
    Agora sobre ter mais tempo para aproveitar as pessoas e coisas que amamos, vamos tentar descobrir como faz? :(((((( hahahaha

    Um beijo enorme! ♥

Gabriela Alegre
Responder 21/06/2016

Deixa eu te falar que não parece nadinha. Amei o texto. Sempre te acompanhando por aqui.

Parabéééns atrasadinho.

Beijo
itsgaby.com

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

comenta aí, vai!